quinta-feira, 6 de novembro de 2014


"Mudas como do dia para a noite! Ora vejo um sorriso, ora ouço uma palavra amarga. Um elogio sentido, ou ignorância por horas a fio. Assim não! Assim não gosto. Assim não quero! Mudas como do dia para a noite, a cada hora que passa, e eu não gosto. Pronto, já disse! Não gosto, e nunca vou gostar. Pareces uma criança as vezes! Só fazes birras, e só pode ser tudo como tu queres. Mas o problema é que foi por essa criança que eu me apaixonei. É essa criança que eu deixo que use e abuse de mim! Que num minuto diz que ama, e no outro é a pessoa mais distante à face da terra! E eu não entendo... a sério que não! Na minha cabeça não faz sentido. Acima de tudo no meu coração não faz sentido! Quem gosta não é assim. Pelo menos eu não sou, e eu gosto! Muito. E tu sabes disso. Enfim. Mais coisa menos coisa, é sempre assim!"