quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Há alturas em que ainda me orgulho do povo português...

... e esta é uma altura dessas.
Houveram 3 pessoas que se uniram depois de verem uma noticia do JN que dava conta de um pai com 50 anos que ia perder a sua filha de 2 anos para adopção porque tinha ficado sem emprego e estava a morar num quarto de uma pensão.
O tribunal decretou que imediatamente fossem proibidas as visitas entre pai e filha para quebrarem os laços parentais. Como é que isto é possivel? Como é que um juiz pode ordenar que se proíba uma filha de 2 anos de ver o seu pai para que se esqueça dele ou deixe de gostar dele para ser entregue a uma outra família.
Foi então que um professor catedrático se disponibilizou a dar 500€ por mês a este senhora durante 6 meses para que este pudesse começar a refazer a sua vida. Houve um outro senhor que disponibilizou um apartamento que tinha de vago para que este senhor pudesse ter uma casa para apresentar a segurança social, e uma empresa abriu uma vaga para este senhor para que pudesse ter um emprego certo e com rendimentos, efectivando-o até.
Agora eu pergunto, onde está o estado?
Tenho a noção de que o que vou dizer pode ser mal interpretado, mas é aquilo que sinto. Como pode o nosso estado dar casas a famílias que vem de fora fugidas do seu pais e tratar assim as nossas famílias?
Atenção, eu também lamento a situação de muitos dos refugiados, mas lamento mais que queiramos fazer um papel de meninos bonitos quando no nosso pais temos montes de pessoas em situações terríveis.

Este senhor diz que já tem uma prendinha de natal para a sua filhota, e que o seu maior sonho é poder no dia de natal entregar-lha e dar-lhe um abraço e um beijinho.
E eu peço muito que isto seja possivel.

Aos bem feitores desta ação o meu bem haja.
Que hajam mais pessoas assim.

A noticia está aqui: http://www.jn.pt/justica/interior/professor-da-500-eurosmes-a-pai-que-nao-quer-perder-a-filha-5566049.html

Isto é Natal.